Seguidores

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

De 1981 à Atualidade: Democracia, Brasileirão, Mundial, Segundona e Corinthians Retornando à Elite

Nesse período, o Corinthians passou por crises, por uma nova época de ouro e, em seguida, enfrentou o maior jejum de títulos de toda a sua História.

1º de Setembro: O mundo será Preto e Branco – Fonte: Corinthians



De 1981 a 1985: Ditadura Militar, Democracia Corintiana
Nos anos finais da Ditadura Militar surgiu, no Sport Club Corinthians Paulista, um movimento interno e inovador no Futebol Mundial, que ficou conhecido como Democracia Corintiana... O ano de 1981 ficou marcado como um dos piores da história do Corinthians, que amargou uma 26ª colocação no Campeonato Brasileiro e um 8º lugar no Campeonato Paulista... mas nos anos de 1982 e 1983, o Corinthians voltou a conquistar o Título Paulista
Campeão Paulista 1982 - Fonte: Consulado do Timão
... mas no Brasileiro, apenas a 4ª colocação do Brasileirão em 1982.
De 1985 a 1993: O Retorno de Matheus e o Sonhado Título Brasileiro
Em 1990, sob o Comando Técnico de Nelsinho Batista, enfim o tão sonhado Título Brasileiro... contra o eterno freguês São Paulo, que era tido como favorito... no Morumbi - que tem, até hoje, recorde de público na segunda partida do título paulista de 1977, contra a Ponte Preta - o “Favoritismo são paulino” se rendeu à “Raça Corintiana”, que conquistou seu 1º Título Brasileiro e, pela segunda vez, o direito de disputar a Taça Libertadores da América.
Fonte: fut f-1
Em 1991 conquistou apenas a Supercopa do Brasil contra o Flamengo... Nesse ano Vicente Matheus deixou a Presidência do Clube e sua esposa, Marlene Matheus, assumiu o cargo e ali se manteve até o ano de 1993.
Marlene Matheus e o esposo Vicente Matheus - Fonte: Terceiro Tempo
De 1994 a 2007: A Era Dualib
Em nova eleição em 1993, Alberto Dualib assumiu a presidência do Corinthians e no Campeonato Brasileiro de 1994 o Corinthians foi vice do rival Palmeiras... Esse ano também marcou um momento de Luto Nacional com o falecimento, em 1º de maio, do maior ídolo brasileiro da Fórmula 1, o eterno corintiano Ayrton Senna.
Fonte: FotOrkut

Fonte: Abril
... em 1995, o 1ª Título da Copa do Brasil e, como no passado, de forma invicta mas... em 1998 o Corinthians... voltou a conquistar o Brasileirão deixando o Cruzeiro como vice...
Campeão Brasileiro 1998 - Fonte: Culturamix
Taça de 1998 - Fonte: Todo Poderoso Timão
Em 1999... foi Bicampeão Brasileiro - com o goleiro Dida jogando no Clube a partir do 1º jogo da semifinal, defendendo dois pênaltis de Raí na mesma partida - com o Atlético Mineiro como vice. Porém na sua 3º Libertadores, caiu frente o rival Palmeiras nas quartas de final...

Fonte: Erojkit
No ano de 2000 - o último do 2ª Milênio - ... o Corinthians conquistou o 1º Campeonato Mundial FIFA em 2000 tornando-se O PRIMEIRO CAMPEÃO VERDADEIRAMENTE MUNDIAL.
Dida: Campeão Brasileiro 1999 e Mundial 2000 - Fonte: wikipédia
... em 2002 o Corinthians foi campeão do Rio-São Paulo pela quinta vez, derrotando o freguês São Paulo e a Copa do Brasil... No final de 2004, o Corinthians firmou parceria com a Media Sports Investiment - a famigerada MSI... A princípio, a parceria parecia ótima: o Corinthians passou a ser chamado de “GALÁCTICO”... O mais badalado foi o argentino Carlito Tevez.
Carlito Tevez – Fonte: O Sabe Tudo
Em 2005 o Corinthians conquistou o seu 4º Título Brasileiro, mesmo perdendo por 3 a 2 para o Goiás, já que o Internacional, único que poderia tirar o título do Timão, perdeu para o Coritiba.
Fonte: Meu Timão
Com essa conquista, alguns torcedores de outros clubes começaram a afirmar que este é um “Título Roubado”, em referência à Máfia do Apito... Já em 2006... a pretensão de conquistar a Libertadores, mais uma vez parou nas oitavas de final, frente ao argentino River Plate, o que levou à revolta de vários torcedores corintianos que enfrentaram a polícia na tentativa de invasão ao campo, o que provocou a antecipação do término da partida.  L A M E N T Á V E L.
Tevez, comemorando o 1º gol na derrota contra o River Plate em 2006 – Fonte: Uol Esporte
A partir daí, queda livre: mau desempenho, desentendimentos, saída dos principais jogadores, poucas contratações, rompimento da parceria com a MSI, renúncia da presidência do Clube, novas eleições para a presidência e queda para a Série B do Brasileirão.

Imagens da queda - Fonte: BLOGOL

UM DESABAFO!!!
Se a memória dos anti corintianos é tão boa para lembrar a MÁFIA DO APITO de 2005, em que o Timão não teve envolvimento nenhum, por que não tem a mesma memória para 2007, quando o Corinthians foi rebaixado com a volta de dois penatis defendidos por Clemer, pelo Internacional contra o Goiás??? E se fosse o contrário, o Corinthians escapasse do rebaixamento com a volta desses dois pênaltis, o que diriam??? Só gostaria que refletissem...

Na Série B, a torcida corintiana mostrou porque é chamada de FIEL Fonte: wikipédia
O Corinthians foi campeão da Série B em 2008 na 34ª rodada, com uma campanha memorável: em 38 jogos foram 25 vitórias, 10 empates e apenas 3 derrotas; com um aproveitamento de 74,5%, o Timão fez 85 pontos e teve 50 gols de saldo (marcou 79 e sofreu 29) e superou o eterno rival Palmeiras que obteve, na Série B em 2003, 74,2% de aproveitamento.
Fonte: UOL
De volta à Série A, em 2009 foi Campeão Paulista invicto, conquistou a Copa do Brasil vencendo o Internacional em casa por 2x0 e empatando em 2x2 no jogo de volta, mas no Brasileirão ficou apenas com a 10ª colocação.
Para ver mais fotos, um vídeo com o gol de Tupãzinho que deu o 1º Título Brasileiro em 1990 narrado por Osmar Santos e mais detalhes da história do Corinthians no período, clique aqui
"Acima do Corinthians, só Deus, que também é FIEL. Ou seja, Deus é CORINTIANO."
Último dos 10 mandamentos CORINTIANO

terça-feira, 30 de agosto de 2011

De 1950 a 1980: Décadas de Angustias, Fidelidade e o Fim do Maior Jejum Corintiano

Nesse período, o Corinthians passou por crises, por uma nova época de ouro e, em seguida, enfrentou o maior jejum de títulos de toda a sua História.
1º de Setembro: O mundo será Preto e Branco – Fonte: Corinthians

De 1950 a 1954: Uma nova época de ouro para o Timão
Em 1950 o Brasil sediou a quarta edição da Copa do Mundo e amargou o famoso “maracanaço”, com a derrota por 2 a 1 na final da competição frente ao Uruguai. Já o Corinthians, conquistou seu primeiro título do Torneio Rio-São Paulo e o vice foi o Vasco da Gama.

Equipe Campeã do Rio-São Paulo de 1950 - Fonte: Loucos pelo Timão
No ano seguinte, o Corinthians pôs fim ao jejum de nove anos sem um título no Campeonato Paulista e o vice foi o Palmeiras.

Equipe Campeã Paulista de 1951 - Fonte: 100 X Corinthians
Em 1952 o Corinthians conquistou o bicampeonato e Baltasar, com 27 gols, foi o artilheiro e a Portuguesa manteve a colocação.

Equipe Campeã Paulista de 1952 - Fonte: Corinthians Todo Poderoso Timão
Em 1954, o Corinthians conquistou novamente o título e a Taça do IV Centenário de São Paulo.

Equipe Campeã Paulista de 1954, o IV Centenário da Capital Paulista – Fonte: Museu dos Esportes
De 1955 a 1976: O Grande Jejum
Em termos de conquistas, esse foi o pior período da História do Timão, mas foi exatamente nessa época que a torcida corintiana recebeu o carinhoso e justo nome de FIEL. Justo porque, apesar de passar por 23 anos sem conquistar um único título, a sua torcida permaneceu realmente FIEL ao clube, sempre na expectativa da conquista de um campeonato. Nesse período, o Corinthians conseguiu apenas dividir o título do Torneio Rio-São Paulo de 1966 com Botafogo, Santos e Vasco da Gama, em virtude da Copa do mundo na Inglaterra ter inviabilizado o término da disputa.

Equipe de 1966 - Fonte: Sapo
Dizia uma lenda muito difundida na torcida corintiana da época que, quando conquistou a Taça do IV Centenário da Cidade de São Paulo, em 1954, o então menino Pelé teria sido apresentado ao Corinthians que o recusou, ele então teria lançado uma maldição ao Clube jurando que, enquanto jogasse futebol, o Timão não seria campeão paulista. Já outros afirmam que a praga foi lançada pelo Rei em 1958, no jogo de despedida da Seleção Brasileira - contra o Corinthians - para a Copa da Suécia. O zagueiro corintiano Ari Clemente, em uma entrada mais dura, provocou uma contusão em Pelé, deixando-o fora dos dois primeiros jogos da Copa daquele ano. Nos vestiários, Pelé teria afirmado que o Corinthians jamais conquistaria um título enquanto ele jogasse futebol. Coincidência ou não, Pelé encerrou sua carreira em 1977 e, doze dias depois, o Timão acabou com o incômodo jejum de 23 anos sem um título paulista.
Nesse período, o Corinthians só conseguiu conquistar torneios não oficiais, como o Torneio de Torino nos anos de 1966 e 1969, o Torneio Costa do Sol em 1969 e o Torneio Internacional de Nova Iorque, também em 1969. No Campeonato Paulista, amargou seis vezes o vice campeonato, sete terceiras colocações, e foi quatro vezes o quarto colocado. Entre os anos de 1955 e 1976, o Timão só deixou de figurar entre os quatro primeiros do Campeonato Paulista por quatro vezes.

As Primeiras Participações Nacionais
1971: A Estréia
O campeonato brasileiro teve início em 1971 e o Corinthians, mesmo nesse jejum de títulos, conquistou a 4ª colocação. No ano seguinte o Corinthians foi novamente o 4º colocado, em 1973 ficou apenas em 12º lugar, em 1974 ficou na 15ª colocação e em 1975 foi o 6ª colocado.
O Brasileirão de 1976 foi especial para o Timão. Nesse ano, enfrentando o Fluminense nas semifinais em partida única e no Maracanã, a FIEL TORCIDA CORINTIANA promoveu a famosa invasão corintiana, empatou em 1 a 1 e foi para a final contra o Internacional após desclassificar os donos da casa vencendo-os por 4 a 1 nos pênaltis.

A Invasão Corintiana na Voz de Osmar Santos - Fonte: youtube
Comentários de Jogadores - Fonte: youtube
Na final, disputada no Beira Rio, Dario fez um gol para o Colorado aos 29 minutos do 1º tempo e Valdomiro fez o segundo aos 12 minutos do 2º tempo, numa cobrança de falta que bateu no travessão e caiu sobre a linha e o árbitro deu o gol, gerando uma confusão e a interrupção da partida por alguns minutos, mas o Alvinegro voltou a campo e o jogo terminou em 2 a 0. O Corinthians foi o vice campeão de 1976. O árbitro da partida? O carioca José Roberto Wright, o mesmo que “classificou” o Flamengo na Libertadores de 1981, prejudicando o Atlético Mineiro, no maior escândalo do Futebol Brasileiro.
O Gol da Confusão - Fonte: youtube
 E a Confusão - Fonte: youtube

De 1977 a 1980: O Fim do Jejum
No Campeonato Paulista de 1977, o Corinthians conquistou o sonhado Título Paulista numa final de três jogos contra a Ponte Preta de Campinas. A primeira partida o Timão venceu por 1 a 0, perdeu a segunda por 2 a 1 - num Morumbi lotado que estabeleceu o recorde de público do Estádio que jamais foi quebrado: 146.072 pessoas com 86.677 pagantes - levando a decisão para uma terceira partida.

Morumbi na final do Paulista de 1977: recorde de público – Fonte: Botões para Sempre

 
Recorde de Público no Morumbi - Fonte:  youtube
A terceira e última foi uma partida nervosa em que foram expulsos Geraldão pelo Timão e, pela Macaca, Rui Rei e Oscar, mas o Corinthians, com gol de Basílio aos 36 minutos do segundo tempo e sagrou-se Campeão Paulista. Foi o fim do maior jejum do Alvinegro mais amado do Brasil.

Equipe Campeã Paulista de 1977 - Fonte: Botões para Sempre
Já no Brasileiro de 1977, foi eliminado na terceira fase, ficando apenas com a 8ª posição entre os 62 clubes participantes. O São Paulo foi o campeão, o vice foi o Atlético-MG, o Operário-CG foi o 3º, Londrina o 4º e o 5º foi o Botafogo. Pela Libertadores da América, Corinthians 1 x 1 Internacional; El Nacional 2 x 1 Corinthians, Deportivo Cuenca 2 x 1 Corinthians, Internacional 1 x 0 Corinthians, Corinthians 3 x 0 El Nacional e Corinthians 4 x 0 Deportivo Cuenca. Nessa Primeira Fase classificava-se apenas um por Grupo e, em terceiro, o Timão foi desclassificado em sua estréia, classificando o Internacional de Porto Alegre pelo Grupo 3. O campeão foi o Boca Juniors e o vice foi o Cruzeiro-MG.

O Campeonato Paulista do ano seguinte teve o Santos como campeão, o São Paulo como vice e o Corinthians não ficou nem entre os quatro melhores. No Brasileirão de 1978 o Corinthians terminou o campeonato na 12ª colocação. O Corinthians conquistou o título do Campeonato Paulista de 1979 tendo novamente a Ponte Preta como Vice. O Campeonato Brasileiro desse ano foi o campeonato de recordes: maior número de clubes participantes, 94 ao todo; o Internacional se tornou o primeiro clube a se tornar três vezes campeão Nacional (1975, 1976 e 1979) e foi o único, até os dias de hoje, campeão invicto. Nesse ano Corinthians, Portuguesa, Santos e São Paulo não disputaram o campeonato em protesto por não entrarem na competição na 3ª fase como queriam.
No Campeonato Paulista de 1980, o Corinthians conquistou apenas a quarta posição e a 5ª colocação no Campeonato Brasileiro, que foi disputado por 44 clubes. No Paulista o campeão foi o São Paulo, o vice foi Santos e a Ponte Preta ficou com a 3ª colocação. No Brasileiro, o campeão foi o Flamengo, o Atlético-MG o vice, Internacional o 3º e o 4º foi o Coritiba.
Quer conhecer os detalhes desta postagem? Clique aqui
"Nunca tive nada contra o Corinthians. Apenas precisava calar logo aquela massa incrível. Se não calasse, a torcida ganharia o jogo."
Pelé, em entrevista a Juca Kfour

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

De 1931 a 1949: Crise, Glória e Jejum

Período de altos e baixos, o Corinthians passou por crises, levou goleadas, se profissionalizou, conquistou o seu terceiro “Tri” e enfrentou longo jejum de nove anos sem títulos paulistas, mas com quatro da Taça São Paulo.

1º de Setembro: O mundo será Preto e Branco – Fonte: Corinthians
Nesse período, entre os anos de 1931 e 1934, o Corinthians perdeu jogadores importantes para o futebol italiano...

Corinthians na década de 1930 - Fonte: Corinthians 1910
passou por sua primeira crise, foi goleado pelos rivais...

Fiel Torcida - Fonte: Corinthinas 1910
... se profissionalizou, contratou seu primeiro técnico profissional, jogadores que se tornaram ídolos e quebrou um tabu de quatro anos sem vencer o rival Palestra Itália.

Bola do jogo da quebra do tabu - Fonte: Vai CORINTHIANS

De 1935 a 1939: A Redenção com o terceiro Tri
Mesmo melhorando bastante, no campeonato de 1935, o Corinthians não passou da terceira colocação, mas o artilheiro foi Teleco, do Corinthians, com 9 gols.

Teleco, artilheiro dos Paulistas de 1935/36/37 e campeão desse último  - Fonte: Wikipédia
No ano seguinte, o Corinthians terminou a competição como vice do rival Palestra Itália e o São Paulo amargou apenas uma oitava colocação. O artilheiro da competição foi novamente o corintiano Teleco, com 28 gols.
No ano de 1937, o Corinthians foi campeão pela primeira vez como profissional e, pela terceira vez Teleco foi o artilheiro, com 15 gols. O vice foi o Palestra Itália.

Corinthians de 1937 - Fonte: Vai CORINTHIANS
Nos dois anos seguintes, o Corinthians se consagrou como primeiro e único Tricampeão Paulista por três vezes, com Teleco voltando à artilharia, com 32 gols.
Em 1940 houve a inauguração do Pacaembu e o Corinthians passou a mandar seus jogos ali. Sagrou-se Campeão Paulista pela última vez na década em 1941...

Estádio do Pacaembu no dia da inauguração – Fonte: Wikipédia
... e amargou um jejum de nove anos, sendo cinco vezes vice campeão no período...
... tendo que se contentar com a conquista de quatro taças São Paulo.

Quer a íntegra dessa publicação? Clique aqui
"O Corinthians é o time do povo e é o povo quem vai fazer o time"
Miguel Bataglia